JORNAL FICA VIVO!


CABANA, por Karem Mariana



Escrito por repórter às 17h49
[   ] [ envie esta mensagem ]






Escrito por repórter às 10h58
[   ] [ envie esta mensagem ]




I Olimpíada Fica Vivo!

Acontece entre os dias 21 de janeiro e 04 de fevereiro, a I Olimpíada Fica Vivo!. Ao todo são 58 times inscritos, formados nas oficinas de esporte desenvolvidas pelo Programa Fica Vivo! nas comunidades Castanheiras, Taquaril, Alto Vera Cruz, Pedreira Prado Lopes, Cabana, Morro das Pedras, Ribeiro de Abreu e Granja de Freitas.

A decisão final dos jogos de basquete, voleibol, handebol e futsal será no Estádio do Mineirinho, dia 04 de fevereiro, a partir das 8h.

O time vencedor de futebol de campo será definido no Estádio do Mineirão, dia 29 de janeiro, às 13h30.

Escrito por repórter às 10h44
[   ] [ envie esta mensagem ]




Matéria sobre Visão do Morro no Viva Favela

Luana Carmem e Robson de Jesus produziram uma matéria especial para o portal
Viva Favela, da ONG Viva Rio, sobre o jornal "Visão do Morro", feito por jovens
moradores do Morro das Pedras e Vila Ventosa, realizado pelo Programa Fica Vivo!.
Na matéria, líderes e comunidade comentam sobre o jornal.

Para ler acesso o site: www.vivafavela.com.br

 

 



Escrito por repórter às 10h41
[   ] [ envie esta mensagem ]




JORNAL DO FICA VIVO! NO MORRO DAS PEDRAS COMEMORA 1 ANO

Para comemorar um ano da produção do jornal do Fica Vivo! - Morro das Pedras e Vila Ventosa, a equipe do jornal alterou o nome, a arte e produziu algumas matérias especiais. O nome do jornal agora é Visão do Morro, uma idéia surgida durante a oficina de jornal. Uma das novidades também é a inauguração da coluna Negreiros que deve abordar a cada edição a questão do negro na sociedade brasileira. Não percam também uma matéria que mobilizou grande parte da equipe para entender como está a educação nas escolas do aglomerado.

 

capa da quinta edição do Jornal Visão do Morro



Escrito por repórter às 12h48
[   ] [ envie esta mensagem ]




TAMBORILATA dá um show na Casa do Conde!!!!!

O grupo Tamborilata, formado pela oficina de percussão do Programa Fica Vivo! em parceria com o Grupo Cultural Arautos do Gueto, no Morro do Cascalho, apresentou ontem no evento "Caia na Teia", promovido pela Rede Telemig Celular de Arte e Cidadania. A platéia delirou. A oficina é oferecida por José Inácio e Hugo Heleno.

Além do Arautos do Gueto, vários grupos artísticos de Belo Horizonte se apresentaram. Entre eles, N.U.C., Meninas de Sinhá, Circo de Todo Mundo e Grupo do Beco.



Escrito por repórter às 13h42
[   ] [ envie esta mensagem ]




Grupo AÇÃO e MOVIMENTO

 

Um dos grupos artísticos formados pelo Programa Fica Vivo!, AÇÃO E MOVIMENTO, de dança de rua, foi convidado para se apresentar na UFMG, durante o 13º Encontro Nacional da Associação Brasileira de Psicologia Social (ABRAPSO).

 

Formado pelo coreógrafo e coordenador de algumas oficinas de Dança de Rua do Programa Fica vivo, Nonato (ex-dançarino da Cia. Será Quê?), o grupo AÇÃO e MOVIMENTO surgiu após a integração de jovens participantes das oficinas nas comunidades do Morro das Pedras, Ventosa e Granja de Freitas. Atualmente, o grupo conta com 30 jovens que dançam coreografias criadas pelo professor.

Após 10 meses de existência o grupo AÇÃO e MOVIMENTO já participou de vários eventos, entre eles, "FICA VIVO NA CIDADE", realizado no Palácio das Artes.

 

Evento realizado pela ABRAPSO

Local: Teatro de arena UFMG / Pampulha

Data:  13/11/05

Horário: 16h30

 



Escrito por repórter às 12h10
[   ] [ envie esta mensagem ]




JORNAL CABANA



Escrito por repórter às 09h01
[   ] [ envie esta mensagem ]




POESIA DO MORRO

 

A mãe da repórter Brenda Lígia,  Heloísa Helena de Souza,  escreve poesia até em saco de papel. Com tantos poemas escritos, ela pretende agora reunir os melhores e lançar um livro. Vamos torcer por ela. Quem puder contribuir, envie e-mail para: jornalficavivo@yahoo.com.br.

 

 

 

 

ESTOU AMANDO

Heloísa Helena de Souza

 

 

Passo noites e dias

esperando pra lhe ver,

viver de novo a alegria
de dar um abraço em você.

 

Esse jeito moleque
tenta arrancar-me sorrisos
são lembranças adoráveis
de você que eu preciso.

Sua voz tranqüiliza-me
suas mãos me dão segurança

quero você comigo

estou me sentindo criança.

 

Como a brisa que cai leve no jardim,
como o vento calmo que faz cantigas pra mim

Como o cântico dos pássaros que amanhece com a primavera
Como o vai-e-vem das ondas beijando a areia que lhe espera

 

Com a pureza do “amor”
você fez nascer uma luz eterna

dentro de mim.

 



Escrito por repórter às 15h51
[   ] [ envie esta mensagem ]




Capa do jornal Fica Vivo! Cabana

 

LANÇAMENTO DO JORNAL FICA VIVO! CABANA

 

A oficina de jornal do Cabana começou faz mais de cinco meses. Nesse período aprendemos, debatemos e produzimos algumas informações importantes sobre a comunidade e o Programa Fica Vivo.


Todos estão convidados para o lançamento dessa primeira edição.

 

Dia: 28 de outubro
Horário: 16h

Local: Auditório da Paróquia São Geraldo
Bairro Cabana

 



Escrito por repórter às 11h02
[   ] [ envie esta mensagem ]




  Meninas de Sinhá

 

Entrevista com Valdete da Silva Cordeiro

Qual a origem das Meninas de Sinhá?

Por preocupação minha de ver as mulheres tomando remédio anti-depressivo, eu vi que elas não eram mulheres doentes, eram mulheres tristes. Sentia solidão e depressão. Comecei a convidar as mulheres para a gente sentar, conversar, bater um papo, aí surgiu Meninas de Sinhá.

 

Tem quanto tempo?

O grupo tem 15 anos, mas Meninas de Sinhá tem 8 anos.

 

Qual o critério e a faixa etária? Tem alguma norma para a participação no grupo?

Não pode ser é jovem, né?! Porque aqui é o grupo da terceira idade. Desde que a pessoa precise e queira entrar no nosso grupo, as portas estão abertas, não tem critério nenhum.

 

Você quer mandar algum recado para outros grupos de terceira idade?

É dizer o seguinte: se a gente não gostar da gente mesmo, ninguém gosta. E dizer para as mulheres: Amélia já acabou, agora nós temos que cuidar da nossa vida. Já criamos os filhos, já cuidamos do marido, agora nós temos que cuidar de nós. E ficar parado dentro de casa, não adianta, porque adoece.  E eu falo o seguinte: não tem idade para brincar, nem para dançar, nem para cantar. Nós temos é que viver bem nossa vida. Temos que gostar de nós mesmas: olhar para o espelho de manhã e dizer “eu sou linda”.

 

 

Entrevista:  David Afra



Escrito por repórter às 18h01
[   ] [ envie esta mensagem ]




  N.U.C.

Entrevista com Dani Crizz, do NUC.
Qual a origem do NUC?  

o NUC surgiu no final de 97, e tem o objetivo de trabalhar a conscientização dos jovens através das letras. A origem mesmo, todo mundo vem do Alto Vera Cruz. Os primeiros integrantes foram o Negro F. e o Renegado, logo depois eu. Eu não tinha participado de nenhum grupo de rap, os dois já tinham envolvimento com o movimento Hip Hop, o Fred era grafiteiro e o Renegado era rapper.

 

Para a galera que está entrando no Fica Vivo, em especial nas oficinas de Hip Hop e grafite, que está envolvido no movimento, que recado você manda para eles?

Se é o objetivo deles a formação artística, eles têm que pesquisar, ir a fundo, porque dá para sobreviver de outro modo, dá para viver bem e ser referência para outros jovens. Além do nome, que já diz: Ficar vivo nessa sociedade difícil, do caos mesmo.

 

E o movimento feminino no Hip Hop, o que você está achando?

Acho que a mulheres que estão chegando agora, se ingressando no movimento, elas têm que trabalhar a questão da sensualidade. Falar “mano” não é ser homem, é falar de uma forma sensual, sem vulgaridade, de forma feminina no máximo possível. A mídia está vendendo a mulher de uma forma muito vulgar e isso não é bom para as mulheres. O nível de consciência da mulherada, não só do Hip Hop, tem que melhorar.

 

 

ENTREVISTA: DAVID AFRA



Escrito por repórter às 17h53
[   ] [ envie esta mensagem ]




ENTREVISTA RAPPIN HOOD, DURANTE SHOW NA PRAÇA DA ESTAÇÃO

    Qual foi a maior barreira que você enfrentou para chegar onde está hoje?

O desafio é sair de uma quebrada de periferia, de uma condição que a gente não tem. A maior barreira é você não conseguir levar o seu trabalho. Minha maior barreira foi não conseguir gravar, foi muito difícil para mim. Uma oportunidade que demorou para vir. Essa foi a maior barreira, mas acredito que hoje em dia, até com o avanço da tecnologia mesmo, está ficando mais fácil o pessoal conseguir produzir uma fita demo, um cd demo, que antes era muito difícil para mim. Eu espero que todos que estão enfrentando isso, tenha paciência e força de vontade para vencer essa barreira.

 

Que recado você pode mandar para o pessoal que está envolvido no FICA VIVO! ?

Quero agradecer, primeiramente a oportunidade de estar com vocês nessa empreitada, de poder participar. Dizer que só tenho que parabenizar e incentivar. Vida longa para o Projeto Fica Vivo e Deus abençoe a caminhada e vamos lá, mano. Salvar nossas irmãs e nossos irmãos que estão juntos aí. Fica Vivo todo mundo aí.

 

 

ENTREVISTA: JULIANA CAROLINE             FOTOGRAFIA: DAVID AFRA



Escrito por repórter às 16h45
[   ] [ envie esta mensagem ]




ENTREVISTA COM BNEGÃO, DURANTE OFICINA DE POESIA

Você veio fazer uma oficina de poesia. O que você está achando da falta de poesia que está nas músicas de sucesso?

Não é só a galera que quer consumir. Tem uma parada chamada jabá que a produtora paga para colocar aquela música na rádio. Que é uma prática criminosa e sinistra, mas que acontece muito nas rádios. Junto com isso, nego empurra muito lixo. Agora, vai da pessoa também. Qual a arma que a pessoa tem para se defender disso? Pô, desliga o rádio e muda de canal! Porque você não precisa ficar recebendo aquilo dali se você não está concordando. Tanto filosoficamente como ideologicamente, como a falta da poesia que você está achando sinistro.

 

Você acha que a falta de poesia das músicas de maior sucesso favorece a violência?

Acho que mais do que falta de poesia. Mas lógico que sim. O lado ideológico também favoreceu mesmo. Mas é mais do que isso na real. Porque a música que vende não fala do que está acontecendo na realidade. É a que mais vende. 

 

Que recado que você manda para os jovens que estão entrando nas oficinas do Fica Vivo!, principalmente daqueles que participam da cultura Hip Hop?

O que eu digo é o seguinte, o que você vai estar aprendendo aí e o que eu vi aí: pô, fiquei felizão, desacreditei que esse projeto é do governo, várias vezes quando tem um projeto do governo, ele não consegue chegar na essência da coisa. Esse aqui chegou na essência mesmo. E é muito bom para quem está vendo aí e entrando na parada, porque mesmo se você for ser médico, empresário..... é importante para melhorar seu modo de ver o mundo. Independente do que você vai fazer: se você vai mexer com dança ou se você vai mexer com música, lindo. Você vai aprender várias coisas. Se você não for mexer, aprende também porque aquilo que você vai aprender nas oficinas, vai somar na sua vida. Um dia você vai estar numa situação em que menos espera, e aquela bagagem vai fazer uma diferença pra você conseguir ir além ou não.

 

 

ENTREVISTA: DAVID AFRA                        FOTOGRAFIA: SÉRGIO ALMEIDA



Escrito por repórter às 16h17
[   ] [ envie esta mensagem ]




Agitamos BH!

 

Repórter Brenda Lígia

Fotos: David Afra

 

No final de setembro aconteceu um dos extensos projetos do governo de Minas, com a participação de várias crianças, adolescentes e jovens de BH. Foi o evento Fica Vivo! na Cidade com atividades durante uma semana.

 

 

No dia 17 (sábado), o programa abriu a programação com a “Invasão de Tambores”, nos quatro cantos da praça da Savassi. Os adolescentes contaram com grandes participações, comandadas pelo percussionista Maurício Tizumba.

 

No dia 19 (segunda-feira), espalharam outdoors pela cidade, pintados por adolescentes grafiteiros e artistas convidados, todos mostrando arte ao vivo.   

 

 

O dia 21 (quarta-feira) foi o mais esperado pelos jovens. Afinal, todos estavam ansiosos para o grande espetáculo “Boca dos Vivos”, com vários artistas dos aglomerados de Belo Horizonte, participantes das oficinas do Fica Vivo. Entre eles, a capoeira do Cabana, a percussão do Cascalho, o teatro do Cabana, o Circo da Pedreira Prado Lopes, o Coral do Ribeiro de Abreu, os dançarinos de rua do Morro das Pedras, Taquaril, Granja de Freitas e Ventosa, os rappers do Alto Vera Cruz e Cabana, etc.

 

 

Mas antes do espetáculo, aconteceu a conferência sobre experiências de organizações de apoio às comunidades carentes, que foi dividida em dois tempos. Na mesa 1 contamos com a presença de Ferréz, Flávio Canto, Nilton César, Marcelo de Castro e Geraldo Leão, debatendo o tema: Cidadania e Juventude. Na mesa 2, contamos com a presença de Hermano Vianna, Clarice Libânio, José Inácio, Bernardo Brant e Bonga, que debateram sobre a cultura e a juventude. Tivemos como mediadora, Márcia Cristina Alves, Superintendente de Prevenção à Criminalidade. Antes do debate, houve uma apresentação do vídeo Fica Vivo, feito pela Estação M3, e a apresentação do programa pela diretora Ludmilla Feres Faria. Tudo isso se passou em um dos palcos mais importantes de Belo Horizonte, o grande Palácio das Artes.

 

 

No dia 22 (quinta-feira) foi dia para oficinas. Alguns jovens assistiram oficinas de poesia com BNegão, animação com César Maurício e dança com o bonde feminino de funk do Rio de Janeiro, As Danadinhas. Tudo aconteceu na Casa do Conde.

Por fim, no dia 23 (sexta-feira), foi o encerramento do Fica Vivo! na Cidade na Praça da Estação, com os shows de rap. Subiram ao palco BNegão, Black Alien, Rappin Hood e o grupo de rap mineiro NUC e Manifesto 1 Passo. Até a última apresentação, a estimativa é que 5 mil pessoas passaram pela Praça da Estação.

 

O Fica Vivo balançou geral a galera. Fiquem ligados para os próximos eventos!  



Escrito por repórter às 15h38
[   ] [ envie esta mensagem ]


[ ver mensagens anteriores ]




 
Histórico
  19/02/2006 a 25/02/2006
  05/02/2006 a 11/02/2006
  29/01/2006 a 04/02/2006
  25/12/2005 a 31/12/2005
  11/12/2005 a 17/12/2005
  13/11/2005 a 19/11/2005
  06/11/2005 a 12/11/2005
  30/10/2005 a 05/11/2005
  23/10/2005 a 29/10/2005
  09/10/2005 a 15/10/2005
  02/10/2005 a 08/10/2005


Outros sites
  Secretaria do Estado de Defesa Social de Minas Gerais
  Favela Tem Memória
  COAV
  Afro Reggae
  Portal Rádio Livre
  Revista do Terceiro Setor
  Real Hip Hop
  Favela é Isso Aí
  Olhares do Morro
  Viva Favela
  Arautos do Gueto
Votação
  Dê uma nota para meu blog